Como proteger a identidade de seu filho

  • Publicado por iKeepSafe

O roubo de identidade financeira se tornou um problema de vários bilhões de dólares e, pelo menos, 7% dos casos são relatados como sendo de identidade de crianças que foram vítimas. Estima-se que mais de 140 mil crianças são vítimas de fraude de identidade a cada ano nos EUA, de acordo com pesquisa realizada em 2011 pela IDAnalytics, mas o número real de vítimas que são crianças pode ser muito maior, pois o roubo de identidade financeira de uma criança com frequência não é descoberto até que a criança cresça e solicite crédito.

Há quatro principais motivos pelos quais identidades de crianças são tão atrativas para ladrões:

  • Crianças não solicitam crédito.
  • Os números de previdência social para crianças não são usados, facilitando combiná-los com um novo nome e data de nascimento; o uso de um SSN sem problemas (de crédito) representa a oportunidade para criar falsas linhas de crédito e fazer débitos de valores elevados.
  • Crianças não estão monitorando suas identidades; portanto, a descoberta do roubo provavelmente não ocorrerá por anos – na verdade, é muito difícil monitorar uma identidade até que a criança tenha 14 anos de idade; mesmo depois de 14 anos, muito poucos verificam seu histórico de crédito antes de irem buscar a primeira linha de crédito.
  • Muitas pessoas obtêm acesso a informações de identidade de uma criança através de vários meios.

Em uma discussão em 2011 da FTC (Federal Trade Commission, Comissão de Comércio Federal), "Stolen Futures: A Forum on Child Identity Theft" (Futuros roubados: um fórum sobre o roubo de identidade de crianças), várias estatísticas preocupantes foram apresentadas.

Outras pesquisas indicam que crianças são alvo de roubo de identidade 51 vezes mais do que adultos (Debix). Além disso, menores que foram alertados sobre o potencial de comprometimento de privacidade tiveram sete vezes mais probabilidade de passar por fraude do que adultos que foram alertados da mesma forma, de acordo com a IDAnalytics

Há duas ameaças principais a identidades financeiras de crianças.

A primeira delas vem de empresas criminosas que usam computadores e informações disponíveis publicamente para localizar números de previdência social para os quais nenhuma linha de crédito foi estabelecida. Você pode se perguntar por que criminosos roubam números que não estão em qualquer sistema, mas é isso que os atrai. Eles não precisam saber de quem estão roubando o SSN, eles apenas querem detectar SSNs que sejam legítimos e não tenham histórico de crédito.

A segunda ameaça vem de membros da família que querem uma nova linha de crédito. Eles roubam as identidades de filhos, sobrinhos, netos, outros parentes mais jovens, principalmente para usar eles mesmos para criar novas linhas de crédito. Em casos em que membros da família são os ladrões, as crianças podem ser muito relutantes em denunciar os incidentes a autoridades, mesmo depois de se tornarem adultos, tornando a regularização de seus índices de crédito e identidade especialmente difícil.

O impacto de roubo de identidade de uma criança pode variar muito, especialmente quando a criança se torna um adulto. Seu filho pode descobrir que sua identidade foi usada em crimes, podem ter crédito ou financiamentos de universidade negados, ter dificuldade para alugar um apartamento, abrir uma conta de serviços públicos ou até mesmo uma conta de telefone em seu nome. Eles também podem estar sujeitos a roubo de identidade médica em que seus registros médicos são violados com a intenção de fraude na previdência ou companhia de seguros.

Minimize os riscos de roubo de identidade de seu filho

É possível verificar o relatório de crédito de seu filho, mas geralmente é ineficaz, pois eles não acumularão ainda um histórico de crédito sólido. De acordo com o Identity Theft Resource Center, o monitoramento do relatório de crédito detecta apenas o roubo de identidade de uma criança em torno de 1% do tempo. Mas isso não significa que não há etapas concretas que você possa realizar – e deva – para proteger seu filho.

Não deixe que informações de identidade vazem. Essa vigilância precisa iniciar antes do nascimento.

Mantenha informações sobre seu filho em um registro genérico de bebê.

Não informe a data de nascimento, o nome da criança ou o hospital de nascimento nem outras informações que poderiam ser usadas para ajudar a vincular as informações ao seu filho. Depois que presentes do bebês forem recebidos, encerre o registro. Algumas empresas não facilitam isso, mas se você ligar e exigir que o registro seja removido, deverá conseguir. Se você escolher fazer o anúncio do nascimento online ou em um jornal, mantenha as informações genéricas.

Não deixe a certidão de nascimento ou informações de previdência social (como CPF) de seus filhos em locais que possam ser vistos por outras pessoas.

Não deixe os documentos deles (ou seus) na bolsa ou carteira, onde possam ser roubados. Se você não tiver um cofre ou local seguro para guardá-los, procure o local mais seguro para guardá-los.

Conforme seus filhos crescem e participam de esportes, clubes e organizações, você será solicitado com frequência a fornecer o CPF deles.

Pergunte aos  o motivo pelo qual precisam dessas informações e como elas serão protegidas, quem terá acesso a elas e quando e como elas serão descartadas quando seu filho não estiver mais no time, no clube ou na organização. Não se tranquilize com o simples fato de o solicitante pedir "apenas" os últimos quatro dígitos do número do Números de Previdência Social (SSN) – esses são os únicos números importantes.  

O Número de Previdência Social (SSN) tem três seções: os primeiros três números representam o estado no qual o SSN foi emitido (depois de 1972 eles passaram a representar o código postal). Qualquer número entre 001 e 003 e antes de 1972, por exemplo, significa que o documento foi emitido em New Hampshire.

O segundo conjunto de números na sequência da previdência social representa um intervalo específico de tempo durante o qual o número foi gerado, identificando rapidamente a idade do destinatário legítimo do SSN.

Os últimos quatro dígitos são os únicos números aleatórios – e ironicamente são os que você é solicitado a informar com mais frequência. Sempre que possível, descubra se você pode usar uma forma alternativa de identificação para seu filho.

Ajude os adolescentes a compreender que eles não precisam ter dinheiro para estar em perigo.

Muitos adolescentes são enganados pelo fato de acharem que não têm dinheiro suficiente na conta bancária – eles acham que ninguém roubaria seus 54,13 dólares. Mas é errado pensar assim. Não é o que seu filho tem na conta que interessa a um criminoso; eles estão interessados é na documentação deles e em fazer empréstimos em nome dele.

Um criminoso não roubará um valor ínfimo da conta bancária de seu filho. O que interessa a eles é obter um empréstimo de 40 mil dólares usando a identidade de seu filho. Como é provável que uma criança não verifique seu histórico de crédito, poderá levar anos até se descobrir que o crédito dela foi arruinado e que ela é um devedor.

Monitore o que é compartilhado sobre seu filho online.

Sites geralmente coletam nome, idade e data de nascimento – todos excelentes pontos de início para ladrões de identidade se os registros da empresa forem hackeados ou se eles exibirem informações sobre usuários. Se seu filho também disser onde nasceu, os ladrões saberão os primeiros cinco dígitos de seu SSN… uma pequena investigação ou engenharia social pode fornecer rapidamente o restante da informação.

Mantenha seus computadores, laptops e smartphones seguros.

Se você tiver registros financeiros, devoluções de impostos, etc., em seu computador e ele for infectado com malware, os criminosos poderão roubar todas as informações de identidade e as informações de identidade de seus dependentes.

Bloqueie o registro de crédito de seu filho – se houver um registro.

Se houver um relatório de crédito de seu filho, você deve assumir que a identidade dele já foi usada de forma fraudulenta. Nesse caso, você como pai ou responsável legal poderá bloquear o registro de crédito de seu filho. Você precisará fornecer um comprovante de que é um dos pais ou responsável legal e que ocorreu fraude.

Infelizmente, as agências de crédito não criam um registro para uma criança mediante solicitação dos pais que queiram realizar um bloqueio de prevenção. Os registros são criados com base em informações relatadas por credores – por exemplo: empregadores, empresas de cartão de crédito, credores hipotecários e outros financiadores. Se seu filho nunca trabalhou antes, nem solicitou um cartão de crédito ou empréstimo e não teve sua identidade roubada, ele não terá um registro de crédito.

Verifique anualmente o relatório de crédito de seu filho.

Você pode verificar o relatório de crédito de seu filho gratuitamente uma vez por ano em cada uma das três principais agências de relatórios de crédito: Experian, Equifax e TransUnion

Peça a seus legisladores e agências de crédito que façam uma pequena alteração em como eles realizam negócios para reduzir drasticamente o roubo de identidade de crianças.

Se as empresas emissoras de crédito verificarem a data de nascimento da pessoa buscando crédito e a compararem com o número de previdência social relatado (lembre-se de que os primeiros cinco dígitos representam o local e a data de nascimento), eles identificariam rapidamente que o solicitante trata-se de um bebê, criança ou adolescente. Isso deveria imediatamente gerar um alerta para exigir documentação adicional.

Há casos legítimos em que um adulto teria um número de previdência social novo, como quando são emitidos SSNs para imigrantes ou quando pessoas tiveram seus SSNs reemitidos devido a roubo de identidade, mas esses casos podem ser facilmente verificados. A ampla maioria de novos titulares de cartão são menores e é muito improvável que um bebê tenha tido um SSN emitido há dois anos e precise de uma linha de crédito ou hipoteca.

 © iKeepSafe